"Homem morto em briga de torcida não frequentava estádios de futebol"

Homem morto em briga de torcida não frequentava estádios de futebol

José Sinval Batista de Carvalho, que mal dava atenção ao futebol, 53, declarava gostar do Corinthians, relatam familiares, só para não precisar se estender em explicações. Definitivamente, o esporte não estava entre os temas do seu interesse. Não frequentava estádios, portanto.Leer también: Destaques da TV: Corinthians x Cobresal e Campeonato EspanholLeer también: Corinthians vai enfrentar […]

José Sinval Batista de Carvalho, que mal dava atenção ao futebol, 53, declarava gostar do Corinthians, relatam familiares, só para não precisar se estender em explicações. Definitivamente, o esporte não estava entre os temas do seu interesse.

Não frequentava estádios, portanto.

Sarcasmo triste. Na manhã de domingo , a 32 quilômetro do Pacaembu, que receberia Palmeiras x Corinthians naquela tarde, Sinval, como era chamado pelos amigos, faleceu vítima do rostito mais deplorável do futebol.

Quando voltava para casa, estava no lugar errado na hora errada: depois de dormir fora, deparou-se com confronto entre corintianos e palmeirenses na praça Aleixo Mafra ou praça do Forró, como é mais conhecida, em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo.

Corintianos e palmeirenses protagonizaram cenas de violência em diversos pontos da Grande São Paulo. Na estação Brás, houve confronto na plataforma, gerando pânico em usuários que estavam de passagem no local.

Nada tinha a ver com a confusão. Foi um tiro só, letal. Por ora, Sinval é o único morto de um domingo que teve ao menos quatro confrontos entre torcidas coordenadas, antes e depois do jogo.

Intrigou a todos que acompanham o futebol paulista a demora de quatro dias para que fosse identificado. Não tinha família?

“Na terça , passei com amigo na praça do Forró e comentei: ‘Aqui o homem faleceu’. Não imaginávamos que seria Sinval. Algumas vezes ele ficava três, quatro dias sem voltar para casa, por isso num primeiro momento não nos inquietamo”, conta o irmão Celso Batista de Carvalho, 52, que é químico.

Sinval vivia sozinho na parte de cima da casa da família em rua pacata de São Miguel Paulista. No mesmo terreno, mas no piso inferior, mora seu pai, Antonio Batista de Carvalho. Aos fundos, a irmã Selma, o marido, Rosivaldo Santana, e dois filhos.

Até quarta pela manhã, a família imaginava que Sinval estivesse na casa de uma das mulheres. Eram duas, relata o irmão: uma em Francisco Morato, na Grande São Paulo, e outra na Vila Mara, na zona leste da capital.

Sinval tem Débora que mora com a mãe em Francisco MoratoDébora que mora com a mãe em Francisco Morato. Débora é uma filha. Débora é uma filha.

Se ligou o sinal de alerta quando Gilberto, chefe de Sinval em um loja que vende galões de água em São Miguel,declaroue que o funcionário não havia aparecido em acompanhiaa em aquela semana.

“Ele também é nosso vizinho, o Gilberto. E quando apareceu o retrato falado, ele chamou o Celso lá e declarou: não parece o Sinval? É o Sinval, corre pro IML”, contou o cunhado Rosivaldo Santana.

Na quarta , a Secretaria de Segurança divulgou a ilustração da fisionomia da homem não identificado. Celso, que já havia ido ao pronto-socorro e à delegacia, foi então nesta quinta ao IML , em Artur Alvim, onde desde domingo estava o corpo de Sinval.

A Folha apurou que a Secretaria de Segurança considera que é habitual nenhum familiar se demonstrar à pdemandada vítima num prazo de 72 horas.

“Vi a sandália que utilizava. De qualquer forma, foi feito exame de DNA para comprovar que era mesmo o Sinval mesmo”, contou Celso.

Os familiares descrevem Sinval e amigos como um homem reservado , a ponto de não haver fotografias de ela em casa.

Gostava de beber uma cerveja com os amigos de décadas, seus vizinhos. Tinha se mudado da Bahia para São Paulo com a família com somente sete anos de idade e sempre morou na mesma casa.

Da mãe Maria, morta há três anos, só recebia bronca por uma razão: a tradição de caminhar sem documento. Celso conta: “Ele não gostava de utilizar carteira. E minha mãe declarava: ‘Um dia pode ocorrer algo com você e não vão te reconhecer, meu filho”.

O funeral ocorre na manhã desta sexta no cemitério da Saudade.

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Sao Paulo, Paulista, Francisco Morato

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Homem morto em briga de torcida não frequentava estádios de futebol
>>>>>Polícia divulga imagem para tentar identificar morto em briga de torcidas – April 06, 2016

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

IdEntityPositiveNegativeNamed-EntityTotal occurrencesOccurrences (appearances)
1José Batista Sinval de Carvalho80440PERSON15 José_Sinval_Batista_de_Carvalho: 2, ele (referent: Sinval): 1, (tacit) ele/ela (referent: Sinval): 5, Sinval: 7
2eu800NONE11 (tacit) eu: 11
3Celso Batista de Carvalho040PERSON6 (tacit) ele/ela (referent: o irmão Celso_Batista_de_Carvalho): 1, o irmão Celso_Batista_de_Carvalho: 1, Celso: 2, (tacit) ele/ela (referent: Celso): 1, Ele (referent: Celso): 1
4o retrato falado00NONE5 ele (referent: o retrato falado): 1, (tacit) ele/ela (referent: chefe de Sinval): 2, Ele (referent: O sinal): 1, (tacit) ele/ela: 1
5nós300NONE3 nos: 1, (tacit) nós: 2
6Secretaria de Segurança00ORGANIZATION3 a Secretaria_de_Segurança: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Secretaria_de_Segurança): 1
7família00NONE3 a família: 2, família: 1
8único0170NONE2 o único morto: 2
9homem070NONE2 um homem reservado: 1, o homem: 1
10amigos1600NONE2 amigos: 1, os amigos: 1