"São Gonçalo: Menina vítima de bala perdida teve três paradas cardiorrespiratórias"

São Gonçalo: Menina vítima de bala perdida teve três paradas cardiorrespiratórias

Foto: Wikipedia – WikcionárioLeer también: Defesa Civil encontra corpos de irmãos sumidos após cobrar dívida, no RioLeer también: Operações da polícia em favelas com UPP têm tiroteio, morte, cinco presos e local de refino de cocaína encontrado O pai da pequena Ana Beatriz Duarte de Sá, de 5 anos, vítima de uma bala perdida na […]

Wiktionarylogopt.png

Foto: Wikipedia – Wikcionário

O pai da pequena Ana Beatriz Duarte de Sá, de 5 anos, vítima de uma bala perdida na noite do último domingo, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, declarou que a filha teve, na madrugada de terça para esta quarta-feira, três paradas cardiorrespiratórias e que o estado de saúde dela continua bastante grave. Ainda de acordo Robson Barbosa, os médicos informaram que depois da cirurgia realizada na segunda-feira, para retirada da bala da cabeça da garota, é necessário aguardar por 72 horas para ver a evolução do quadro clínico.

Um tiro de bala perdida de 5 anos atingiu em a cabeça uma garota durante uma celebração infantil , em o Barro Vermelho , em São Gonçalo , Região Metropolitana do Rio , em a noite de o último domingo. A vítima está depositada no Centro de Terapía Intensiva do Hospital Estadual Alberto Torres no Colubandê.um tiro de bala perdida de 5 anos atingiu em a cabeça uma garota durante uma celebração infantil , em o Barro Vermelho , em São Gonçalo , Região Metropolitana do Rio , em a noite de o último domingo. A vítima está depositada no Centro de Terapía Intensiva do Hospital Estadual Alberto Torres no Colubandê.

A definição de saúde tem implicações legais, sociais e econômicas dos estados de saúde e enfermidade.

— Estou fazendo o possível e o impossível para ver minha filha bem novamente. Se atingiu ela logo depois que ,devi fazerr respiração boca a boca atéaoclínical, porque havia perdido completamentosavigoresas narrouou ele.

O pai declarou que espera que a polícia consiga elucidar, o mais rápido possível, de onde saiu o tiro que atiguiu sua filha. Robson prestou testemunho nesta terça-feira e a polícia já pediu ao Hospital Estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo, que mande o projétil para que seja periciado.

— Essa falta de segurança no estado está tirando a vida de muitos inocentes. A minha filha foi mais uma vitima dessa política de segurança falida. A sociedade não pode se calar e precisa exigir respostas do poder píúblico — queixar-se.

A mãe de Ana Beatriz está bastante nevosa com o caso e o pai tem passado a noite a criança no clínica. Nas redes sociais, ela pede orações para a filha:

A Secretaria estadual de Saúde informou que a garota continua em estado grave, mas estável.