"Mulher de Nem da Rocinha é solta​"

Mulher de Nem da Rocinha é solta​

Foto: Wikipedia – 1 rocinha panorama 2014Leer también: Defesa Civil encontra corpos de irmãos sumidos após cobrar dívida, no RioLeer también: Operações da polícia em favelas com UPP têm tiroteio, morte, cinco presos e local de refino de cocaína encontrado Danúbia de Souza Rangel foi solta na tarde desta terça-feira. Danúbia de Souza Rangel é […]

1rocinhapanorama2014.jpg

Foto: Wikipedia – 1 rocinha panorama 2014

Danúbia de Souza Rangel foi solta na tarde desta terça-feira. Danúbia de Souza Rangel é mulher do traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes. Se dispersou ela em o último dia 2, em processo de a 35ª Vara Criminal em o qual respondia por associação para o tráfico,. Nem se dispersou ele também .

Nesta terça-feira, a Justiça havia informado que Danúbia não poderia ser solta, pois respondia a outro processo. A Secretaria de Administração Penitenciária, no entanto, informou que ela foi colocada em liberdade à tarde.

Justiça é um conceito abstrato que se refere a um estado ideal de interação social em que há um equilíbrio razoável e indiferente entre os interesses, riquezas e chances entre as pessoas envolvidas em determinado conjunto social.

Na ato, Nem época acusado de continuar chefiando o tráfico de drogas na favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, mesmo estando preso em unidade federal de segurança máxima. Já Danúbia época acusada de repassar as ordens do marido após visitá-lo no presídio. Para o juiz Tiago Fernandes de Barros, no entanto, não havia provas suficientes de que os dois estivessem exercendo essas funções no tráfico da Rocinha. O Ministério Público também pediu a absolvição do casal.

Na mesma resolução em que condenou Nem, o juiz Tiago Fernandes de Barros condenou Vinícius Pessoa Pedroni por associação para o tráfico de drogas e corrupção ativa. Vinícius Pessoa Pedroni é o Guissa. Apesar da absolvição, Nem e Danúbia continuam presos, respondendo a outros processos. Ele está preso desde novembro de 2011 e ela, desde agosto de 2014.Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, e Danúbia de Souza Rangel foram dispersados, no último dia 2, em processo da 35ª Vara Criminal, no qual respondiam por associação para o tráfico de drogas. Danúbia de Souza Rangel é sua mulher. Na ato, Nem época acusado de continuar chefiando o tráfico de drogas na favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, mesmo estando preso em unidade federal de segurança máxima. Já Danúbia época acusada de repassar as ordens do marido após visitá-lo no presídio. Para o juiz Tiago Fernandes de Barros, no entanto, não havia provas suficientes de que os dois estivessem exercendo essas funções no tráfico da Rocinha. O Ministério Público também pediu a absolvição do casal.Na mesma resolução em que condenou Nem, o juiz Tiago Fernandes de Barros condenou Vinícius Pessoa Pedroni por associação para o tráfico de drogas e corrupção ativa. Vinícius Pessoa Pedroni é o Guissa. Apesar da absolvição, Nem e Danúbia continuam presos, respondendo a outros processos. Ele está preso desde novembro de 2011 e ela, desde agosto de 2014.

A Rocinha é uma favela localizada na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.

A ato é um desmembramento do processo resultante da Operação Paz Armada, realizada na Rocinha em julho de 2013, e que concluiu com a morte do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza. No começo do mês passado, 12 dos 25 policiais militares acusados do desaparecimento de Amarildo foram condenados.

Danúbia estava presa desde agosto de 2014. Já Nem está atrás das grades desde novembro de 2011.