"Após vídeos de assaltos, página ‘Rio de Nojeira’ e PM fecham parceria"

Após vídeos de assaltos, página ‘Rio de Nojeira’ e PM fecham parceria

Em dez dias, foram cerca de 300 vídeos inscrevendo latrocínios e a movimentação dos criminosos por uma esquina no Largo da Carioca, no Centro do Rio, desde dezembro do ano passado — as imagens já acrescentam quase 20 milhões de visualizações no Facebook. Idealizada por um empresário que investiu R$ 2.500 numa câmera, a iniciativa […]

Em dez dias, foram cerca de 300 vídeos inscrevendo latrocínios e a movimentação dos criminosos por uma esquina no Largo da Carioca, no Centro do Rio, desde dezembro do ano passado — as imagens já acrescentam quase 20 milhões de visualizações no Facebook. Idealizada por um empresário que investiu R$ 2.500 numa câmera, a iniciativa chamou a atenção também da Polícia Militar, que declarou, na última sexta-feira, uma parceria com a página “Rio de Nojeira”.

Facebook é um site e serviço de rede social que foi arremessado em 4 de fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc..

Formalizou-se o convite em um encontro em o qg de a pm entre o gerente de a página, oficiais de o 5º bpm e o tenente-coronel oderlei de os santos, relações públicas de a corporação. Segundo o comando do regimento, conforme nota mandada pela assessoria da PM, o objetivo é viabilizar o “encaminhamento de denúncias diretamente para os setores de Inteligência e de Operações”.

No começo do ano, as filmagens do empresário já haviam ilustrado uma reportagem do “Jornal Nacional”, da Rede Globo. Mesmo assim, a área do 5º BPM inscreveu 388 assaltos a pedestre em janeiro, uma média de 12 casos por dia — ampliação de 40% na comparação com o mesmo mês de 2015 .

— Senti uma melhora desde sexta, mas continuarei filmando e postando. Desejo apenas mostrar a realidade — declara o gerente da página.

Veja abaixo a íntegra da nota mandada pela PM:

“A assessoria de jornalismo da PMERJ informa que todas as maneiras de acusação ou acontecimentos que chegam ao conhecimento da PM são utilizadas para melhorar o planejamento do policiamento. A parceria é uma maneira de animar a população a participar e delatar anormalidades para que corporação possa continuar melhorando a prestação de serviço. Muitos regimentos usam o apetrecho do Facebook para interagir com a população.

Procurada, a assessoria de jornalismo da Polícia Civil informou que “Instaurou-se uma investigação de acordo com o delegado de polícia Daniel Rosa, adjunto de a DH, para apurar oacontecimentosos. A perícia foi feita no local e no veículo queimado. Se encaminhou o corpo para identificação papiloscópica em o IML-Centro. Algumas testemunhas foram escutadas na especializada, que realiza diligências à demanda de imagens de câmeras de segurança instaladas na região que possam apoiar a identificar a autoria do crime”.

No caso do Centro da cidade, quem desejar delatar alguma anormalidade pode ligar diretamente para o 5° BPM através do telefone: 2332-5639

O comando do batalhão convidou o empresário para colocar-se à disposição para encaminhamento de denúncias diretamente para os setores de Inteligência e de Operações.”